O Amor que não morre

Na véspera do aniversário de 1 ano da minha filha, parei para refletir acerca do meu aniversário de 1 ano e toda a emoção envolvida nele.

Parei para pensar nos dias que antecederam minha festinha e no amor envolvido em tudo.

E não pude deixar de identificar em quantas coisas sou parecida com a minha mãe e quantas coisas ela me ensinou.

Me ensinou a dançar fazendo interpretação de personagens;
Me ensinou a escrever, alegando que se eu eu não parasse naquele momento para aprender, não iria mais brincar na rua;
Me ensinou a organizar e limpar as minhas coisas alegando que precisava da minha ajuda e fazia também uma troca do trabalho por balas (Rsss);
Me ensinou a ser divertida porque era a pessoa mais bem humorada do meu convívio;
Me ensinou a ser independente quando com 6 anos me pedia para ir comprar pão e ovos sozinha. Ela me deu autonomia;
Me ensinou o afeto quando milhares de vezes me fez cafuné até dormir. Ela me aconchegou;
Me ensinou a ser livre quando me deixou brincar na rua, mas sabendo que eu tinha para onde voltar após um simples e alto assovio dado do portão de casa.;
Ela me ensinou a me sentir segura quando se despediu de mim no meu primeiro dia da escola, mas voltou no final do dia;
Me ensinou a me sentir querida, quando planejou a melhor festa surpresa da minha vida, com um bolo feito por ela e 5 amiguinhos no quintal e casa;
Me ensinou a ser forte quando criou, e de forma maravilhosa, 3 filhos longe da família.
É minha maior referência de amor ao esposo, pois Amou, Amou e simplesmente Amou;
Foi a segunda maior cozinheira (a primeira é minha madrinha) que já conheci;
Me motivou quando esteve presente orgulhosa às minhas apresentações da escola e recitais. Ela ainda fazia questão de me fazer recitar para todo mundo;
Ela é minha referência e quero muito aprender, a viver do necessário, quando dependia do dinheiro do esposo para tudo e estava sempre Linda. (1 chicletes durava semanas, porque era um pedacinho de cada vez, e o resto ficava na geladeira para outro dia Rssss);
Me ensinou acerca de sabedoria quando escolheu meus padrinhos para me batizar. Foi uma escolha orientada por Deus.
Ela me ensinou a perdoar…. Como ela perdoou;
Ela me ensinou a Amar, simplesmente porque eu me senti amada demais. Talvez ela soubesse que teríamos pouco tempo e fez valer a pena;
Ela só não me ensinou a dizer Adeus. Eu não consegui dizer e nem vou fazê-lo.  Ainda estarei com ela denovo para partilhar tantas coisas acerca de ser mãe, para agradecê-la por tudo, para contar o quanto ela fez falta e por vezes absurdamente, em determinados momentos da minha Vida. Para sentir seu cheirinho denovo e elogiar as unhas mais bem cuidadas que eu já vi. Para agradecer por não ter sido egoísta e ter tido mais filhos, porque eu não teria tido estrutura nenhuma sem os meus dois irmãos. Para dizer que a qualidade de tempo e amor que ela me deu foram MUITO mais que suficientemente bons, mas foram bases para toda a minha Vida.
Com certeza ela me ensinou a ser mãe. Se eu não tivesse sido amada, pouco provável que eu amasse tanto a minha filha.  Falta muito para eu ser a mulher que ela era.  Mas existe uma referência .. e o mais interessante é que quanto mais me descubro e me resolvo, mais vou percebendo que quero ser uma mãe e mulher como ela.

Sem dúvida ela vai estar muito presente amanhã na festinha.  Infelizmente só no meu coração, mas em todo momento vou me recordar da minha festinha de 1 ano que foi no mesmo lugar e com o mesmo amor.

Seria muito bom se ela estivesse lá.

Ainda vou contar à ela como foi tão especial quanto a minha.  Simplesmente porque envolvia mais que qualquer outra coisa… MUITO AMOR.

Seria maravilhoso se ela estivesse lá.

Alessandra Sassá

13 thoughts on “O Amor que não morre

  1. chorei ,por conhecer vc a tantos anos ,e me lembrar que quando soube que vc não tinhas os pais nunca compreendi como era isso, afinal os meus estavam la ..anos depois perdi meu pai e ainda não compreendi. Seu texto é lindo e por um momento questionei a Deus ..a mãe dela pode ler ? eu estou tão tocada que as lagrimas surgem não por sua mãe não estar aqui ,mas por vc ter uma consciência tão linda do que ela foi e é para vc …
    seu coração é tão lindo como antes …bjss da sua amiga de sempre mesmo afastada ….
    com carinho ..
    REGINA.

    1. RÊ… e eu chorei com o seu comentário.Rsss É mesmo um pouco incompreensível não ter os pais por perto e as vezes a vida ainda tira aqueles que o vazio acabou colocando no lugar errado. Mas só me dei conta dessa grande ausência à pouco. Meu coração é mesmo MESMO e fiquei Muito feliz pelo LINDO!!! Muitas Saudades. Grande e Forte Abraço Amiga.

  2. Oi meu bem!!!
    Estou impressionado de saber quantas lembranças você tem de sua infância…coisas que nem eu lembrava. Muito legal o modo como expressou em palavras sua saudade: com carinho e maturidade…cada dia me surpreende mais com sua vida (afinal, vivo ela também).
    Sei que é difícil lembrar de tudo isso sem sentir um pouco de tristeza; afinal, não era esse o caminho que queríamos que a vida seguisse.Mas lembre-se sempre que “nosso” crescimento foi devido a esses acontecimentos; fatos que marcaram e deixaram rastros que nos fez crescer.
    Quero que saiba que a vida é maravilhosa assim mesmo! Como diz o Salmo 30: “…o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.” Deus permite que caiamos do ninho algumas vezes, para que saibamos que a vida também nos prega peças; mas na maioria das vezes estaremos ali, embaixo de suas asas…quentinhos…seguros…com a certeza de estarmos sendo cuidados.
    Parabéns pelo seu post, pelo seu sentimento, pela sua vida!!! Não esqueça que você nunca vai estar sozinha, mesmo quando pessoas que ama não estiverem mais com você, e que sempre que estiver pensando em alguém, sempre tem alguém pensando em você!
    CONTE SEMPRE COMIGO!
    BJ MEU BEM…DEUS TE ABENÇOE!!!

    1. Que delícia. Amei seu post. Minha vida não seria nada se não os tivesse (você e o didi também) por perto. Me dando o sentimento de LAR. Crescemos muito na ausência deles, mas tivemos solidez para isso graças aos anos que vivemos juntos. AMO VOCÊ. Obrigada

  3. ” ah…. sem palavras… O amor é extraordinário mesmo, ele faz com que mesmo longe estejamos perto, mesmo tristes nos sentimos confortados… é isso mesmo cunhada, valeu a pena cada minutinho com sua mãe, ela foi tão especial e deixou dentro da sua alma um desejo de ser uma mãe tão maravilhosa como ela foi. Convivo, e vejo o seu esforço em dar o seu melhor pra princesinha (Aninha), isso fará toda diferença pelo resto da vida!!” bjus emocionados……

  4. Nossa Lê, imagina ai a Jaque lendo isso ( já sabe né litros e litros!) fico muito feliz em acompanhar mesmo que de tão longe essa fase linda e eterna que você vive: Ser mãe! Lembro de nossas conversas e do quanto você significou e significa na minha vida… Eu realmente posso sentir a felicidade quando vejo suas fotos com sua filhinha… Parabéns minha amiga, nós sempre colhemos aquilo que plantamos… Um abraço muito carinhoso em você e na tua linda familia…

  5. Nossa prima, foi um privilegio estar lá na festinha com a carol. Amo vc a aninha, q Deus nos de muitos anos de vida para acompanha las nessa caminhada doce e querida com jesus e quem amamos

  6. Ela não só estava como trouxe com ela nossas tias, tios, primos, prima, Vovó e os Vovôs que já se foram e até o papai ela deve o ter convencido a ir. Mas o importante foi Aninha ter aproveitado tudo e tb poder levar na mente os momentos felizes ao lado da familia. Parabéns irmã tava uma delicia! TE AMO!!!

  7. … As lágrimas estão correndo parecendo água corrente… além da comoção elas estão limpando a minha alma …..porque no dia a dia nós vamos nos “sujando” com a poeira do egoísmo, da maldade, da falta de compaixão, do egoísmo, da solidão e ficamos pesados, descrentes, desesperançados….com a alma pesada que quase nem conseguimos mais sentir no coração amores tão sublimes como o amor de mãe e filha…….

    1. Que alegria pensar que trouxe emoção para alguém além de mim. Penso que a relação com filhos devem ter nossa maior parcela de energia, pois além de ser o que mais uma mulher pode levar da sua própria vida, essa relação também tem um impacto direto no adulto que os filhos serão. A maternidade nos eterniza. Minha mãe faleceu há 21 anos, mas até na minha velhice ela estará viva e será especial. Minha terapeuta, que também trabalha em um hospital, comenta que não raro, ao conversar com idosos que estão para falecer, escuta histórias da suas relações com os pais e percebe o quão presentes e importantes os pais ainda são. É DIVINO. Como você mesmo disse: É sublime! Abração

  8. VC é uma safadinha, me deixou completamente comovida. Claro que sempre soube de sua inteligência, mas não conhecia essa sua imensa sensibilidade. O texto sobre a sua mãe é simplesmente maravilhoso, porque diz muiiiito em essência. Que essa sua sensibilidade conduza a vida da Ana Luiza com todos esses valores atemporais que eclodem dentro de vc.
    No sentido literário eu lia, se soubesse que não fosse seu, um dos textos da Martha Medeiros, Ana Jácomo ou Leticia Thompson. Bjsssssssssssssssssssssssssssssss

    1. Que Honra ser comparada a tais escritoras. Realmente tenho um humilde e longo projeto de me tornar uma delas. E que alegria saber que a comovi. O Amor toca. Quando conseguimos colocar no papel o sagrado do nosso coração, sempre haverá alguém que, identificando-se, partilhará da mesma emoção. Grande Abraço

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s